cea poster computacao aplicada pt

Clique aqui para o cartaz versão impressa

Click here for poster print

1. Curso de Estudos Avançados em Computação Aplicada à Arquitectura, Urbanismo e Design (CAAUD)

A expressão da Arquitectura de um tempo particular é sempre reflexo dos contextos desse tempo, de entre os quais o  tecnológico. Hoje, os meios computacionais são já instrumentos incontornáveis na maior parte dos ambientes de projecto. Porém, em certa medida, são ainda utilizados apenas como meros facilitadores de processos já adquiridos e testados pelo tempo. O Curso de Estudos Avançados CAAUD pretende dar um passo adiante e promover a utilização da computação na Arquitectura como um meio de expandir a intuição e a consciência, e ampliar a capacidade do Arquitecto se relacionar e agir sobre o mundo que o rodeia de um modo mais inteligente e holístico.

Índice

1. Curso de Estudos Avançados em Computação Aplicada à Arquitectura, Urbanismo e Design (CAAUD)
2. Organização e colaborações
3. Tipologia
4. Créditos ECTS atribuídos e sua justificação
5. Relação com os ramos de conhecimento em que a FAULisboa dispõe de competências científicas
6. Unidades curriculares de 1º e 2º ciclo no domínio proposto para o curso
7. Justificação e objectivos
8. Destinatários e condições de acesso, avaliação e calendarização
9. Plano de estudos e programa
10. Programa (conteúdos sintéticos) das unidades curriculares
11. Proposta de corpo docente e de colaborações exteriores
12. Recursos Laboratoriais
13. Propinas
14. Prazo de Candidatura
15. Prazo de resposta a Candidaturas
16. Inscrição
17. Calendário de aulas

Coordenador: José P. Duarte

Comissão Científica:
José P. Duarte, FA/ULisboa
Luís Mateus, FA/ULisboa
José Nuno Beirão, FA/ULisboa
Victor Ferreira, FA/ULisboa
Joaquim Jorge, IST/ULisboa
António Leitão, IST/ULisboa
Paulo Bártolo, IPL
Helena Bártolo, IPL
George Stiny, MIT
Terry Knight, MIT
Gabriela Celani, Unicamp

Voltar ao índice

2. Organização e colaborações

A Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa (FAUL) foi a primeira escola do género em Portugal e uma das primeiras escolas da Europa a apostar nas novas tecnologias ao criar o seu Centro de Informática em 1986.Tem assim hoje um capital significativo de saber e experiência acumulados na área da aplicação dos métodos computacionais aos processos de concepção no contexto da Arquitectura, do Urbanismo e do Design. Esse capital consubstancia-se por um corpo docente especializado, por deter instalações e equipamentos de vanguarda neste domínio e pelo desenvolvimento de investigação fundamental e aplicada, traduzida em projetos de investigação fundamental e aplicada e por um número significativo de publicações em conferências e revistas internacionais.
Com este enquadramento, faz-se a proposta do Curso de Estudos de Avançados em Computação Aplicada à Arquitectura, Urbanismo e Design (CEA-CAAUD) com a convicção de que se vem preencher uma lacuna na oferta de formação dos agentes da arquitectura e do urbanismo que, pela natureza da sua acção disciplinar, pretendem expandir os seus conhecimentos, integrando este tipo de ferramentas e procedimentos.
O CEA-CAAUD é organizado pela FAUL e conta com o apoio do Instituto Superior Técnico (IST) e do Instituto Politécnico de Leiria (IPL) em algumas áreas mais específicas como a programação, a realidade virtual, a digitalização e a fabricação digital avançada, bem como do MIT com quem existe uma tradição de colaboração de vários anos.

Voltar ao índice

3. Tipologia

O CEA-CAAUD funciona em dois semestres, correspondendo a um mínimo de 40 e um máximo de 60 créditos ECTS. Pretende-se uma estreita relação com os cursos de doutoramento da FAUL, podendo o aluno, caso o deseje, e após a sua conclusão, ingressar num daqueles cursos de doutoramento devendo, para o efeito, realizar, no ano seguinte, apenas as unidades curriculares de Metodologias de Investigação (1º semestre) e Seminário de Projecto de Tese (2º semestre).
Em cada semestre do CEA-CAAUD, o aluno deverá optar quatro a seis unidades curriculares de entre as oferecidas como opção.

Voltar ao índice

4. Créditos ECTS atribuídos e sua justificação

A atribuição dos créditos ECTS é função do workload estimado para cada unidade curricular, em harmonia com os critérios estabelecidos pelo Decreto-Lei nº 42/05 de 22/02.
Cada unidade curricular vale 5 créditos ECTS, a que corresponde um volume de trabalho (workload) semestral de 140h, incluindo 21h de contacto.

Voltar ao índice

5. Relação com os ramos de conhecimento em que a FAULisboa dispõe de competências científicas

O CEA-CAAUD corresponde a uma oferta pedagógica, de 3º ciclo, que surge como sequência lógica da oferta de 1º e 2º ciclo, agora reforçada com a recente revisão curricular. Nestes ciclos de estudo são abordados temas base da modelação 2D e 3D, numa perspectiva de ligação à ao projecto, à fabricação e à construção. Essa oferta é diversificada e abrange todas as licenciaturas e mestrados.
Na tabela seguinte listam-se as unidades curriculares existentes, de 1º e 2º ciclo, no domínio científico proposto para o presente curso de especialização.

Voltar ao índice

6. Unidades curriculares de 1º e 2º ciclo no domínio proposto para o curso

Unidades Curriculares Cursos Sem. Horas semanais/ tipologia
Sistemas de Representação Digital em Arquitectura  MiARQ; MiARQ-Int; MiARQ-Urb 3h / TP
Modelação e visualização tridimensional em Arquitectura MiARQ; MiARQ-Int; MiARQ-Urb 3h / TP
Modelação Geométrica e Generativa MiARQ 3h / TP
Sistemas de Representação Digital em Design Lic. Design 3h / TP
Sistemas de Representação Digital em Design de Moda Lic. Design Moda 3h / TP
Modelação Paramétrica e Prototipagem Digital em Design Lic. Design 3h / TP
Modelação Paramétrica e Prototipagem Digital em Design de Moda Lic. Design de Moda 3h / TP
Complementos de Matemática e Estatística MiARQ; MiAQR-Int; MiARQ-Urb 3h / TP

 

Neste contexto, o CAAUDU aprofunda os temas leccionados naquelas unidades curriculares, introduz novos temas, e traduz-se num conjunto de unidades curriculares que cobre áreas genéricas aplicáveis a qualquer um dos ramos acima mencionado, como por exemplo: Gramáticas da Forma, Programação, Fundamentos de Matemática para Computação, Realidade Virtual, Projecto e Fabricação Digital, SimuIação, Animação; áreas maioritariamente vocacionadas para a arquitectura como: BIM, Digitalização 3D; ou ainda áreas maioritariamente vocacionadas para o urbanismo: SIG, Sintaxe Espacial e Projecto Urbano Paramétrico.

7. Justificação e objectivos

Hoje em dia, continua a existir uma inércia na prática profissional, que evita a todo o custo modificar práticas profissionais testadas e validadas pelo uso diário, em detrimento de novas formas de fazer, enfatizada pela rápida e constante evolução das tecnologias e processos, e pelo esforço que a constante actualização obriga. O CEA-CAAUD vem preencher uma lacuna do panorama da formação dos arquitectos, urbanistas e designers no contexto actual, em que os processos de concepção tendem a apoiar-se cada vez mais em ferramentas digitais e métodos computacionais, facilitando e agilizando a aquisição de um conjunto de conhecimentos e processos, com aplicação direta na prática do profissional e na articulação com a indústria.
O conjunto de unidades curriculares fornecido pelo CEA-CAAUD permite aos seus alunos colmatar estas lacunas em áreas aplicáveis aos domínios científicos próprios da FAUL, nomeadamente Arquitectura, Urbanismo e Design, personalizando a sua formação de acordo com os seus interesses específicos. O leque de disciplinas oferecido cobre um vasto espectro do estado do conhecimento no domínio das ferramentas digitais e métodos computacionais essenciais à formação de uma vantagem competitiva num mercado que se apresenta saturado de arquitectos e designers com uma formação tradicional. O CAAUD tem por objectivo combinar tradição com inovação, dotando os seus alunos de conhecimentos que lhes permitam aumentar o potencial de inserção no mercado de trabalho, contribuindo simultaneamente para o desenvolvimento económico do país.
No contexto actual, em que que o desenho assistido por computador se tornou prática corrente junto dos profissionais e as ferramentas e os processos informáticos continuam a evoluir, assiste a uma transição progressiva para o desenho paramétrico, abrindo novas áreas de aplicação, automatizando tarefas e revolucionando áreas estabelecidas. Em paralelo, a evolução tecnológica das máquinas ferramenta vem tornar cada vez mais acessível a prática da prototipagem rápida e da fabricação digital, permitindo produzir fisicamente, e a custos acessíveis, peças, componentes e módulos, com aplicação direta na construção.
Os processos digitais têm o potencial para revolucionar e apoiar, desde a fase conceptual, até à execução, e são essenciais para:
i) a constante procura de racionalização construtiva; ii) simulação e análise de edifícios e áreas urbanas; iii) maximizar conforto, qualidade e eficiência energética e ambiental; iv) minimizar custos; v) agilizar levantamentos a diversas escalas; vi) estruturar e analisar dados; vii) visualização virtual dos ambientes construídos, em tempo real ou para aplicações multimédia.
O conjunto de conhecimentos disponibilizados neste curso, arma o profissional, com a capacidade de potenciar a sua prática profissional, viabilizando a recolha e utilização de uma infinidade de dados, que actualmente existem à sua disposição, mas que permanecem subutilizados. Ao conseguir tratar esses dados, com o apoio das ferramentas digitais, torna-os recursos inestimáveis, potenciando a produção de um Projecto informado, mais fundamentado e sustentável, apoiando a sua execução de forma eficaz e inovadora.

Voltar ao índice

8. Destinatários e condições de acesso, avaliação e calendarização

a) destinatários e condições de acesso:
O CEA-CAAUD destina-se a Mestres, Licenciados (pré-Bolonha), em Arquitectura, Urbanismo, Design, Engenharia, Arqueologia, bem como em áreas afins.
Candidatos provenientes de outras áreas de formação poderão ser aceites, após apreciação favorável de curriculum pela Comissão Científica do curso.
Número mínimo de inscrições para funcionamento do curso: 16.
Número máximo de inscrições: 26.
Método de selecção: A selecção será feita por apreciação curricular. Se a Comissão Científica entender apropriado, poderão ser realizadas entrevistas individuais.
b) Formas de avaliação:
A filosofia geral do CEA-CAAUD é “learn by doing” (aprender fazendo) e “hands on” (aprendizagem prática). Isto é, privilegia-se o trabalho prático, sempre acompanhado de um suporte teórico proporcionado e adequado à prática em curso. Especificamente, cada unidade curricular definirá os seus modos, componentes e ponderações para a avaliação e classificação que será sempre expressa quantitativamente na escala de 0 a 20 valores.
Após conclusão do curso, a média será calculada proporcionalmente aos créditos ECTS de cada Unidade Curricular.
c) Duração, cargas horárias (total semanal), calendarização do curso:
O CEA-CAAUD tem a duração de um ano lectivo (2 semestres) e um prazo máximo para a sua conclusão de 4 semestre lectivos após admissão, prazo findo o qual, a inscrição prescreve, podendo o aluno apenas requerer certificado às unidades curriculares efectivamente concluídas.
Os alunos optarão livremente por 4 a 6 unidades curriculares em cada semestre, de entre um leque de 6 unidades oferecidas por semestre. O número mínimo de inscrições numa unidade curricular, para que se justifique a sua leccionação é de 6 alunos.
Cada semestre tem a duração de 14 semanas, e cada unidade curricular tem 1.5h de contacto semanal, perfazendo um volume de trabalho (workload) semestral de 140h. Assim o tempo lectivo de contacto semanal é de 6h, podendo haver acompanhamento extra aula a acordar com os docentes.
No total, o CEA-CAAUD corresponde a um volume de trabalho (workload) total de 1120h do qual 168h são horas de contacto se o aluno se tiver inscrito em 40 ECTS.
As avaliações, em qualquer época, ocorrerão na altura destinada para esse efeito de acordo com o calendário académico da FAULisboa.

9. Plano de estudos e programa

Todas as unidades curriculares do CECAADU funcionam em modo de livre eleição de acordo com as necessidades de aprofundamento sentidas por cada aluno. Neste sentido, o plano de estudos obedece a uma estrutura livre podendo ser distinto de aluno para aluno. A única restrição é que as unidades curriculares devem ser realizadas no semestre em que são oferecidas.

Áreas científicas da FAULisboa com participação no CEA CAAUDU

Área Científica Designação
A Arquitectura
U Urbanismo
TAUD Tecnologias da Arquitectura, Urbanismo e Design
DCV Desenho e Comunicação Visual

 

Áreas científicas do IST com participação no CEA CAAUDU

Área Científica Designação
Inf Informática

 

Áreas científicas do IPL com participação no CEA CAAUDU

Área Científica Designação
E Engenharia

 

Estrutura curricular do CECAADU

1º Semestre Área Científica ECTS Horas semanais
Optativa 1 - 5 1,5
Optativa 2 - 5 1,5
Optativa 3 - 5 1,5
Optativa 4 - 5 1,5
  Total do 1º semestre 40 6
2º semestre      
Optativa 5 - 5 1,5
Optativa 6 - 5 1,5
Optativa 7 - 5 1,5
Optativa 8 - 5 1,5
  Total do 2º semestre 40 6

 

Quadro de optativas do 1º semestre

Designação Área Científica ECTS Horas semanais
Gramáticas da Forma DCV/A 5 1,5
Digitalização 3D DCV 5 1,5
Sintaxe Espacial U 5 1,5
SIG U 5 1,5
BIM A 5 1,5
Programação Informática 5 1,5
Digitalização 3D Close Range (*) E 5 (1)

 

 Quadro de optativas do 2º semestre

Designação Área Científica ECTS Horas semanais
Projecto e Fabricação Digital A 5 1,5
Fundamentos de Matemática para Computação TAUD 5 1,5
SimuIação TAUD 5 1,5
Animação por Computador DCV 5 1,5
Projecto Urbano Paramétrico U 5 1,5
Realidade Virtual Informática 5 1,5
Fabricação Digital Avançada (*) 5 (1)

 

(*) As disciplinas de Digitalização 3D close range e de Fabricação Digital Avançada serão leccionadas no Centro para o Desenvolvimento Rápido e Sustentável de Produto do IPL de forma condensada (1 ou 2 semanas) e após o final de cada semestre. Para o efeito, recomenda-se que os alunos tenham realizado as unidades curriculares de Digitalização 3D (1º semestre) e Projecto e Fabricação digital (2º semestre) que se consideram precedentes daquelas.

Para além das unidades curriculares expressas nestes quadros, o CAAUDU inclui ainda palestras magistrais proferidas por professores convidados, incluindo do MIT, que participarão ainda na discussão dos trabalhos dos alunos.

Voltar ao índice

10. Programa (conteúdos sintéticos) das unidades curriculares

1º Semestre

Gramáticas da Forma

1. Introdução às gramáticas da forma: teoria e aplicações em arquitetura, urbanismo e design;
2. As gramáticas de forma no ensino;
3. Forma, forma analítica, computação da forma, transformações no espaço Euclidiano, álgebras;
4. Relação espacial, regra, rótulos, derivação, recursão, parametrização;
5. Gramáticas de cor e de pesos;
6. Gramáticas compostas;
7. Gramáticas descritivas;
8. Aplicações em arquitetura, urbanismo e design;
9. Críticas à teoria, analogias com as gramáticas de Chomsky e à máquina de Turing;
10. Transformações estilísticas;
11. Interpretadores de gramáticas 2D;
12. Interpretadores de gramáticas 3D.
As aulas serão suportadas por leituras de artigos que desenvolvem particularmente cada tema e pela realização de pequenos trabalhos práticos.

Ficha da Disciplina pdf icon

 

Digitalização 3D

1. A Digitalização 3D no contexto da Arquitectura, Urbanismo e Design:
2. Transformações geométricas (escala, rotação, translação)
3. Sistemas de aquisição de dados;
4. Reconstrução tridimensional a partir de múltiplas imagens (fotogrametria automática):
5. Varrimento Laser 3D:
6. Técnicas de reconstrução de geometria
7. Workflows: aquisição de dados > processamento de dados > reconstrução 3D > modelação 2D/3D > análise arquitectónica.
A metodologia de ensino/aprendizagem passará pela selecção de um objecto de estudo que se registará, aplicando uma selecção de técnicas aprendidas, em função de um objectivo declarado a priori pelo aluno.

Ficha da Disciplina pdf icon

 

Sintaxe Espacial

A unidade curricular estrutura-se em dois módulos de formação; um teórico e outro prático.
1. Módulo Teórico (teoria e análise):
Introdução (apresentação de conceitos - sintaxe espacial, espaço, configuração espacial);
Introdução às técnicas de representação espacial (mapas axiais e convexos, grafos justificados, isovistas de ponto, convexas, axiais e de fachada, análise de grafo de visibilidades, mapa de segmentos;
Análise espacial: medidas (distância topológica - profundidade, profundidade total, mapa convexo, mapa axial, conectividade, integração, escolha, comprimento axial), diagramas de dispersão.
Teoria urbana (regularidade estrutural do espaço urbano, inteligibilidade sintáctica, efeito de área local, movimento natural, economia de movimento);
Estudos de caso, exemplos de aplicação nacionais e internacionais (projectos, processos, ferramentas).
2. Módulo Prático (procedimentos de criação de mapa axial (fontes cartográficas, estratégias para desenho das linhas axiais, problemas de representação, adequação de resolução à escala da análise);
Análise e validação de um modelo complexo (objectivos, ferramentas, conjuntos de dados, integração de dados empíricos, análise estatística, modelos multi-variável);
Hierarquia de centralidades em malha urbana existente e impacto de proposta de alteração de malha urbana;
Criação de mapa de análise de grafo de visibilidades de uma área;
Aplicação prática de metodologias de registo de fluxos: portal, caminho, instantâneo, 'snail trail'

Ficha da Disciplina pdf icon

 

Introdução ao SIG

1. Modelos e modelação espacial de fenómenos geográficos e conceitos de informação geográfica.
2. Sistemas de Informação Geográfica e análise de fenómenos complexos.
3. Formação em software SIG (ArcGIS).
4. Estruturação de projectos em SIG orientados para a dissertação de doutoramento.
5. Criação de documentos digitais para organizar e difundir conceitos e técnicas adquiridas.

Ficha da Disciplina pdf icon

 

BIM

1. Utilização do Archicad com desenhos de projecto pré-existentes, permitindo a listagem e medição automática de espaços.
2. Desenvolvimento de conjuntos e fases de trabalho, com numeração e designação automática.
3. Produção de listagens de áreas e características, estruturando a informação em excel como listas, inserção das listas em folhas finais.
4. Contigências das artes finais, conjuntos de canetas e intencionalidade gráfica, inteligência e interacção dos elementos gráficos compilados em cada folha.
5. Desenvolvimento do trabalho em Access, desenvolvimento das intenções de projecto com campos descritivos dos espaços e integração de objectos reais.

Ficha da Disciplina pdf icon

 

Programação

1. Programação. Linguagens: Sintaxe, semântica, e pragmática.
2. Elementos da linguagem: números, funções, identificadores.
3. Estruturas de controle: invocação, selecção.
4. Estruturas de dados: coordenadas, sistemas de coordenadas.
5. Modelação geométrica.
6. Recursão.
7. Estado e aleatoriedade.
8. Listas.
9. Geometria construtiva de sólidos.
10. Funções de ordem superior.
11. Representação paramétrica.
A avaliação incluirá um exame escrito e a realização de um projecto.

Ficha da Disciplina pdf icon

 

Digitalização 3D Close Range

1. Técnicas de digitalização 3D ativas em arquitectura, urbanismo e design
2. Princípios de triangulação laser
3. Fundamentos da projecção estruturada de luz branca
4. Calibração dos sistemas de digitalização 3D ativos
5. Técnicas de digitalização 3D passivas em arquitectura, urbanismo e design
6. Percepção visual humana
7. Fotogrametria
8. Visão por computador
9. Calibração em fotogrametria e visão por computador
10. Técnicas avançadas de calibração (auto-calibração)
11. Correspondência entre pontos e estrutura 3D (binocular stereopsis and 3D motion)
12. Formatos digitais (pontos 3D, STL, IGES)
13. Métodos de aquisição de cor e textura
14. Conceito avançado BioCAD
15. Integração da digitalização 3D avançada com a fabricação aditiva.
16. Aplicações em arquitectura, urbanismo e design
A metodologia de ensino/aprendizagem comprenderá a realização de um tabalho usando uma ou mais técnicas de digitalização 3D avançada na obtenção de um modelo computacional 3D e passando por uma das duas vias seguintes:
1. adição de cor/textura ao modelo computacional 3D;
2. obtenção de um protótipo físico a partir do modelo computacional 3D.

2º Semestre

Projecto e Fabricação Digital

Introduz os fundamentos da abordagem computacional do conhecimento e forma arquitectónicos introduzindo uma perspectiva algorítmica do projecto. São apresentadas as teorias mais divulgadas para a computação com formas arquitectónicas, bem como as principais técnicas para a sua produção. Os assuntos abordados incluem sistemas generativos - desenho paramétrico, gramáticas de forma e outros - e produção assistida por computador - sistemas subtractivos, aditivos, por corte e outros. Os conceitos básicos da programação são ensinados através de programação visual utilizando a ferramenta Grasshopper (GH) sob a aplicação Rhinoceros. Para enquadramento prático desenvolve-se um exercício de projecto para a aplicação dos conhecimentos adquiridos. O exercício permite a abordagem de diferentes escalas de projecto – do objecto à escala urbana passando pelo edifício. O objectivo principal é a compreensão do potencial das ferramentas computacionais na resolução de algumas especificidades dos problemas de projecto em áreas criativas e exploração de novos potenciais de manufactura.
A primeira parte do programa centra-se na aquisição de conhecimentos em programação paramétrica na construção de modelos destinados à fabricação. A segunda parte do programa destina-se à exploração de problemas relacionados com a tectónica do fabrico digital centrando o enfoque na adequação dos modelos às técnicas de fabricação disponíveis.

Ficha da Disciplina pdf icon

 

Fundamentos de Matemática para Computação

1. Introdução;
2. Programação linear;
3. Modelos de otimização geométrica;
4. Modelos de otimização topológica;
5. Aplicações e exemplos

Ficha da Disciplina pdf icon

 

Ferramentas de Análise e SimuIação

1. Apresentação de vários tipos de ferramentas analíticas. Suportes informáticos para térmica, acústica, iluminação e ventilação.
2. Exercer uma atitude de utilizador crítico e ativo face às ferramentas informáticas em geral e para o projecto sustentável em particular.

Ficha da Disciplina pdf icon

 

Animação por Computador

1 - Noções Fundamentais: Técnicas e sintaxe do cinema
2 - Estúdio Virtual de Animação e sua Filmagem
3 - Maxscript 3.0
4 - Natureza e Figura Humana
5 - Flash : Animação 2D e Interactividade
6 - Adobe Premiere: conceitos chave Montagem

Ficha da Disciplina pdf icon

 

Projecto Urbano Paramétrico

Introdução ao conceito de CIM (City Information Modeling) e de padrões urbanos de projecto (Urban Design Patterns). Desenvolvimento dos princípios de integração de bases de dados geográficas e uma plataforma paramétrica para projecto urbano. Conceitos avançados de projecto paramétrico recorrendo à manipulação integrada de geometria e dados. Abordagem algorítmica do projecto urbano. Os conceitos de programação são ensinados através do interface de programação visual Grasshopper (GH) sobre a aplicação Rhinoceros.
Geração de cenários de projecto urbano e sua apreciação através do cálculo de propriedades ou indicadores dos planos urbanos calculados com base nas geometrias geradas e dados disponíveis.
Como objectivo final os alunos desenvolverão um conjunto de cenários para um problema concreto de projecto urbano para os quais apresentarão também o cálculo de propriedades que permitirá a apreciação e avaliação objectiva das soluções apresentadas.

Ficha da Disciplina pdf icon

 

Ambientes Virtuais para Arquitectura

1. Introdução aos Ambientes Virtuais
2. O Continuo da Virtualidade Real à Realidade Virtual;
3. Dispositivos e Ambientes de Visualização e Interacção;
4. Sistemas de Modelação para Arquitectura;
5. Construção de Modelos Virtuais;
6. Primitivas Geométricas;
7. Miodelos de Iluminação e Representação Gráfica;
8. Animação;
9. Interacção e dispositivos de Interacção;
10. Ferramentas de Desenvolvimento;
11. Ferramentas de Desenvolvimento
12-14. Guionismo e Interacção;
As aulas serão suportadas por leituras de artigos, livros e trabalhos práticos. A avaliação inclui um projecto

Fabricação Digital Avançada

1. Introdução à fabricação aditiva enquanto processo biomimético de produção
2. Conceito de fabricação automática, prototipagem rápida e fabricação personalizada
3. Relevância da fabricação aditiva em arquitectura, urbanismo e design
4. Classificação dos processos de fabricação aditiva
5. Descrição dos principais processos de fabricação aditiva comercialmente disponíveis ou em desenvolvimento: princípio de funcionamento, materiais, principais vantagens e limitações, exemplos de aplicação
6. Design para a fabricação aditiva
7. Integração das técnicas de fabricação aditiva com outras técnicas de apoio ao desenvolvimento conceptual de produtos: sistemas de digitalização e escultura virtual
8. A fabricação aditiva no contexto nacional
No âmbito desta unidade curricular os alunos realizarão trabalhos experimentais utilizando as principais técnicas de fabricação aditiva: estereolitografia, extrusão, impressão 3D, sinterização selectiva por laser

Todas as unidades curriculares são optativas, devendo os alunos obter um mínimo de 40 ECTS.

Voltar ao índice

11. Proposta de corpo docente e de colaborações exteriores

O corpo docente do CECAADU é maioritariamente composto por docentes da FAUL, contando também com colaboração de docentes do IST.

Proposta de corpo docente

1º Semestre Nome dos docentes
Gramáticas da Forma Luís Romão / José Pinto Duarte, FA
Digitalização 3D Luís Mateus / Victor Ferreira, FA
Sintaxe Espacial Francisco Serdoura / Victor Ferreira, FA
Introdução ao SIG Cristina Henriques, FA
BIM Francisco Agostinho, FA
Programação António Leitão, IST
Digitalização 3D Close Range Paulo Bártolo / Helena Bártolo, IPL

 

2º Semestre Nome dos docentes
Projecto e Fabricação Digital José Nuno Beirão / Pedro Januário, FA
Fundamentos de Matemática para Computação Jorge Ribeiro / Susanha Rosado Ganhão, FA
Ferramentas de Análise e SimuIação Luís Romão, FA
Animação Carlos Figueiredo, FA
Projecto Urbano Paramétrico José Nuno Beirão / José Pinto Duarte, FA
Realidade Virtual Joaquim Jorge, IST
Fabricação Digital Avançada Paulo Bártolo / Helena Bártolo, IPL

 

Voltar ao índice

12. Recursos Laboratoriais

O ensino do curso apoia-se em recursos laboratoriais de vanguarda existentes nas instituições participantes, nomeadamente, o Laboratório de Prototipagem Rápida e o Laboratório de Digitalização 3D da FA, o Laboratório de Realidade Virtual do IST e o Centro para o Desenvolvimento Rápido e Sustentável do Produto do IPL.

Voltar ao índice

13. Propinas

Entre 2000 (40 ECTS) e 3000 euros (60 ECTS) em função dos ECTS.

Voltar ao índice

14. Prazo de Candidatura

6 de Setembro

Voltar ao índice

15. Prazo de resposta a Candidaturas

10 de Setembro

Voltar ao índice

16. Inscrição

1º semestre: 12-12 de Setembro
2º semestre: 27-31 de Janeiro

Voltar ao índice

17. Calendário de aulas

De acordo com o calendário académico da FA.

1º semestre
Início das aulas: 16 de Setembro
Fim das aulas: 21 de Dezembro
Período de exames: 9 a 22 de Janeiro

2º semestre
Início das aulas: 3 de Fevereiro
Fim das aulas: 17 de Maio
Período de exames: 22 de Maio a 4 de Junho
Período de exames de recurso: 19 a 30 de Junho

Nota:
Possibilidade de contabilização de créditos, caso o aluno seja aceite nos cursos de doutoramento (CD) da FA num horizonte de 5 anos: aprovar pela Comissão Científica do CD

Voltar ao índice